quarta-feira, março 03, 2004

"Processo Casa Pia" - - - As provas do NAMORA

Ex-casapiano descreve declarações de Mário Soares sobre o processo Casa Pia

O ex-casapiano Pedro Namora acusou publicamente Mário Soares de tentar desacreditar o processo Casa Pia. O ex-presidente da república reagiu e acusou-o de querer «ser uma vedeta». Mário Soares exigiu ainda provas das acusações. Esta quarta-feira, numa notícia divulgada pelo diário Correio da Manhã, Pedro Namora enumera as intervenções do líder histórico do Partido Socialista.

Em declarações ao jornal, o ex-casapiano reafirma as acusações que fez e descreve as declarações de Mário Soares, indicando as respectivas datas:

Maio de 2003: «Mário Soares vai à sede do PS e manifesta publicamente solidariedade a Paulo Pedroso e Ferro Rodrigues».

8 de Junho de 2003: «Dá uma entrevista à Antena 1, que é citada pelo jornal Público, onde faz críticas à investigação, referindo um eventual envolvimento dos Serviços Secretos e fala da existência de escutas privadas nas investigações do caso de pedofilia. Manifesta-se convencido da inocência de Paulo Pedroso e reafirma solidariedade com Ferro Rodrigues. Além de criticar as investigações insinua que há ligações entre certos jornalistas e a PJ».

14 de Junho de 2003: «Mário Soares declara publicamente que não existem provas suficientes para condenar alguns suspeitos do processo de pedofilia e diz que a justiça vai sair-se muito mal».

8 de Janeiro de 2004: «Neste dia, Mário Soares pediu explicações sobre as cartas anónimas e diz ter receio de que o país fique mais um ano sem conclusões. Refere que incluir Jaime Gama no processo é infame porque o considera acima de qualquer suspeita. Chega ao ponto de dizer que o caso pode ter influência sobre o turismo».

Entrevistado na SIC, Mário Soares respondeu na passada terça-feira acusando Pedro Namora de «ser uma pessoa sem credibilidade nenhuma para dizer o que quer que seja» e de querer «vir à tona da publicidade e transformar-se numa vedeta».

A troca de acusações entre as duas personalidades promete manter a polémica acesa. Recorde-se que esta quarta-feira, Ana Teixeira e Silva, a juíza sorteada para a instrução do caso Casa Pia deverá tomar conta do mesmo. Sendo quase certo que a juíza não irá tomar nenhuma decisão sem antes «estudar» atentamente as mais de 13 mil páginas do processo.